Conexão Xalingo – Blog

Tag - mobile learning

O celular ainda não tem espaço em suas aulas? Então repense a ideia

post01

Isso porque é possível realizar diversas atividades através dos smartphones, seguindo a tendência de aprendizagem BYOD. Saiba o que é e como coloca-lo na prática.

BYOD é a sigla de Bring your Own Device (em tradução livre: traga seu próprio dispositivo) e também conhecida como mobile learning (aprendizagem móvel). Esta é uma tendência que surgiu no ambiente corporativo, mas tem ganhado cada vez mais espaço na Educação, incentivando que alunos tragam para a sala de aula seus próprios dispositivos digitais.

Em um país como o nosso, onde muitas escolas são carentes de materiais didáticos, o celular traz muitas possibilidades no aprendizado dos estudantes. Um dos principais benefícios é não ter a necessidade de altos investimentos, como a necessidade de laboratórios de informática, por exemplo.

BYOD na prática

Outro ponto positivo do BYOD é que a aprendizagem pode ocorrer em diferentes locais, como a própria sala de aula, ou explorando espaços externos, utilizando as ferramentas do próprio celular, como os recursos de vídeo, imagem e som. Outro ponto interessante é envolver a comunidade escolar, pensando colaborativamente sobre a adoção do BYOD na unidade escolar. Um caminho é constituir um fórum para pensar ações conjuntas, conhecendo a fundo o perfil da comunidade interna da escola e constituir um política de uso com a sensibilidade da unidade escolar, além de envolver o colegiado para pensar em adquirir conectividade.

BYOD no Brasil

Em nosso país, já temos algumas iniciativas. É o caso do “Minha Vida Mobile”, que é um projeto cultural e educativo que conecta escolas e fomenta intercâmbios.

Outra possibilidade é colocar os alunos na situação de produtores de tecnologias e desenvolver aplicativos. Uma ferramenta que pode ser utilizada é a “Fábrica de Aplicativos”, em que os alunos podem desenvolver uma aprendizagem interativa e criar games, e-books e materiais interativos, usando como limite a imaginação.

Professor(a): o que você acha dos smartphones em suas aulas? Gosta, não gosta…? E já realizou alguma atividade com os alunos, que envolva a utilização dos celulares? Comente abaixo!

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube:  https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/15853/para-a-proxima-aula-tragam-seus-celulares

Confira estas tendências de educação para 2019 (parte 2)

post01

2019 está vindo repleto de tendências na área da educação. E você, professor, pode ficar por dentro de algumas delas na nossa postagem de hoje.

Nos últimos anos, vemos a tecnologia cada vez mais adentrando as salas de aula. E para 2019, ela continuará auxiliando na melhora da educação. Confira essa e outras tendências:

Uso da tecnologia

O uso da tecnologia em sala de aula pode trazer muitos benefícios. Confira alguns deles:

– aprimoramento na qualidade da educação: novas metodologias chegam para aperfeiçoar o processo educacional, ajudando educadores a encontrarem abordagens pedagógicas diversificadas;

– aulas mais atraentes: a aprendizagem torna-se mais motivadora e encantadora;

– aproxima alunos de professores: propicia um aprendizado conjunto que contribui para a socialização de docentes e discentes;

– auxílio no desempenho escolar: com o estímulo, o interesse pelas atividades escolares cresce, assim como a produtividade dos alunos;

– estímulo ao conhecimento e à troca de ensinamentos: os assuntos abordados em sala de aula passam a ser partilhados em âmbito familiar.

Tendências tecnológicas para a sala de aula

– Gamificação

A gamificação consiste na utilização de mecânicas e dinâmicas de jogos para despertar e estimular o aprendizado. O recurso, que apresenta práticas ludopedagógicas e interativas, é bastante interessante para desenvolver a criatividade e aumentar a participação em sala de aula.

– Mobile learning

No mobile learning, o ensino acontece em ambientes digitais, à distância. Por meio de dispositivos móveis (smartphones, tablets etc.) com acesso à internet, existe a possibilidade de utilizar metodologias diferenciadas, como livros digitais, videoaulas, aplicativos, cursos e-learning, entre outros.

Inteligência Artificial

O uso da inteligência artificial na educação é relativamente novo e tem sido timidamente adotado por instituições de ensino. O recurso é de grande valia para que o aluno consiga identificar rapidamente seu padrão de erros e acertos, pois ele trabalha basicamente com estatísticas. Assim, o estudante pode acompanhar, estatisticamente, a evolução de seu aprendizado, verificando acertos e dificuldades.

Robótica

A robótica é uma tendência indiscutível em diversos setores da sociedade. Além de promover a ligação entre o digital e o real, o recurso proporciona o protagonismo do jovem. Com a ferramenta, o aprendizado é aprofundado, pois ele passa a compreender na prática, por exemplo, teorias matemáticas ou físicas difíceis de serem assimiladas.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

Fonte: https://escolasdisruptivas.com.br/escolas-do-seculo-xxi/tendencias-da-educacao-2019/

Confira estas tendências de educação para 2019 (parte 1)

post03

A cada ano que passa, novas ideias surgem para melhorar a educação em todo o mundo. E para 2019 não vai ser diferente: muita inovação e tecnologia devem fazer parte do currículo escolar de muitas escolas.

E para te ajudar a entender tudo que pode acontecer neste próximo ano, selecionamos 3 tendências de educação. Confira!

1) Flexibilização curricular

Uma das principais tendências da educação é a flexibilização curricular. O objetivo é levar para a sala de aula a discussão sobre assuntos em pauta na sociedade e que fazem parte do cotidiano dos estudantes. A exemplo, a sustentabilidade, os direitos humanos, a tecnologia, a igualdade social e as questões de gênero.

Com a flexibilização curricular, existe a oportunidade de construir uma nova abordagem e uma formação escolar mais diversificado. Dessa maneira, é possível adaptar o ensino às necessidades individuais de cada aluno — tornando, assim, a sala de aula muito mais democrática e inclusiva.

2) Conscientização e inclusão

Como dissemos, com a flexibilização curricular é possível tratar de assuntos emergentes da sociedade, em sala de aula. E isso é importantíssimo, pois vivemos em um mundo onde já não há mais espaço para o preconceito, de modo que jovens precisam permanecer conscientizados acerca da diversidade.

O investimento na educação inclusiva também é uma das tendências da educação. As diferenças sempre existiram e precisam ser respeitadas. Há diversos alunos com síndromes, deficiências e transtornos que, assim como os demais, merecem um ensino de qualidade.

Por isso, é importante que educadores estejam atentos para as peculiaridades e necessidades desses jovens. É essencial lembrar-se de que cada ser humano é singular e que, antes de pensar sobre o desenvolvimento do currículo escolar, suas individualidades precisam — e devem — ser consideradas.

3) Exercício do diálogo e da escuta

É preciso instigar um diálogo no qual os jovens consigam expressar-se sem amarras. E, mais do que isso, é importante incentivá-los a escutar outros pontos de vista sobre um mesmo assunto, e fazê-los compreender que existem outras opiniões que devem ser respeitadas.

Durante esse momento, o processo de aprendizado deve ser estimulado a ocorrer em conjunto. É necessário criar um ambiente onde todos possam aproveitar essa atividade e refletir verdadeiramente sobre um determinado tema, com a ajuda uns dos outros.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

Fonte: https://escolasdisruptivas.com.br/escolas-do-seculo-xxi/tendencias-da-educacao-2019/

As tendências de inovação para a educação

post01

Algumas destas tendências já tornaram-se realidade, outras têm tudo para acontecerem. Confira 3 tendências que prometem inovar a educação:

1) Mobile Learning

O mobile learning é uma modalidade relativamente nova de ensino que possibilita a estudantes e professores o aprendizado através da criação de novos ambientes à distância. Dispositivos móveis com acesso à internet, como laptops, smartphones e tablets são as ferramentas para aprendizado, propiciando utilizar metodologias como videoaulas (gravadas em estúdio, com curta duração), aplicativos (com questionários interativos e conteúdos multimídia), livros digitais (em PDF ou não), cursos e-learning (treinamentos específicos), redes sociais acadêmicas (interação entre usuários), entre outros.

2) Storytelling no EAD

A técnica de storytelling possibilita trabalhar determinado tema utilizando recursos como cenas do cotidiano, imagens, vídeos, trilha sonora, infográficos e textos atraentes. A arte de contar histórias nas práticas de educação à distância tem tido efeito positivo entre os alunos. As histórias devem ser planejadas, sistematizadas e em total sintonia com o tema em questão. Além da voz que narra, que deve levar em conta uma entonação própria, itens como a criação de personagens conectados aos alunos e uma narrativa com começo, meio e fim, fazem do storytelling uma referência em termos de inovação no ensino.

3) Ensino Híbrido

O ensino híbrido tem a premissa em transformar o professor em aluno e o aluno em professor. Sua ideia central é fornecer aos alunos um material digital antecipado sobre a aula para que ele estude. Para a sala de aula fica a missão de ser um espaço para tirar dúvidas e o professor intervir apenas no sentido de propor projetos interdisciplinares. Além de gerar maior interação dos estudantes, é uma forma de fazê-los aprender a matéria de forma leve e divertida.

E você, professor: o que acha dessas inovações? Tem outras dicas de inovações na educação? Então comente abaixo!

Fonte:
http://www.gennera.com.br/blog/inovacao-na-educacao-tendencias-que-voce-deve-conferir/