Conexão Xalingo – Blog

Tag - aplicativos para educação

8 aplicativos para te ajudar dentro e fora da escola

post02

Confira uma lista com oito aplicativos que funcionam tanto em computadores com sistemas MacOS e Windows ou Android e iOS, no caso de dispositivos móveis.

Pocket

O aplicativo permite salvar notícias, artigos, vídeos, receitas e páginas da web para ler, assistir ou ouvir mais tarde. Com aparência que pode ser personalizada pelo usuário, ele ainda oferece temas que tornam a leitura de textos longos mais confortáveis porque tem uma função para reduzir o brilho da tela antes de dormir. O Pocket também divide conteúdos de diferentes canais, como Medium, Twitter, YouTube e jornais, como New York Times, The Guardian, Washington Post.

Flipboard

No Flipboard, o conteúdo salvo vira uma revista digital personalizada conforme o interesse dos usuários. A cada virada de página surgem novos conteúdos, estejam eles em vídeos, imagens, textos ou podcasts. A ferramenta ainda tem a opção de compartilhamento com outras pessoas ou até mesmo com um grupo, o que facilita separar os conteúdos por turmas ou séries.

Google Keep

O Keep é um serviço de anotações do Google para criar notas via celular ou web. Todo o conteúdo salvo pode ser sincronizado com o Google Drive. Além das tradicionais funções de armazenamento, ele possibilita gravação de voz com transcrição automática ou captura de pôster, recibo ou documentos.

Microsoft OneNote

Usar o Word para fazer anotações pode não ser o caminho mais prático dentro da família de aplicativos da Microsoft. Vale a pena experimentar o OneNote, bloco de notas que permite criar diferentes cadernos, seja para uso pessoal ou profissional, que ainda aceitam desenhos, recortes de tela, marcações em fotos e comentários em áudio. Todas as anotações salvas no OneNote podem ser compartilhadas com outros usuários.

Apple Notas

O aplicativo desenvolvido pela Apple permite a criação de anotações de texto, desenhos e listas. Assim como os concorrentes, ele sincroniza o conteúdo na nuvem para ser usado no computador, no iPhone ou no tablet iPad. O usuário também pode proteger suas notas ou compartilhar com outras pessoas.

Feedly

O Feedly é um aplicativo que agrega notícias de diferentes fontes de informação e de vários sites ou blogs em um único lugar. A plataforma também possibilita que o usuário crie o seu feed personalizado e consiga organizar os assuntos de modo mais eficiente (e menos caótico) do que a linha do tempo do Facebook ou do Twitter.

Evernote

Como em um caderno de anotações, ele é ideal para organizar tarefas e ideias, mesmo se for necessário desenhos para sistematizar o que foi discutido em uma reunião. Com o Evernote, é possível salvar páginas da web, trocar mensagens e acessar as anotações em um computador ou dispositivo móvel.

Instapaper

Como um leitor digital, o Instapaper permite o armazenamento de conteúdo de sites de notícias ou redes sociais para ser lido mais tarde, inclusive no modo offline. Uma de suas características mais famosas é apresentação do texto de maneira limpa (fonte preta em fundo branco ou branca em fundo preto), sem tantos elementos gráficos que possam distrair o leitor. O conteúdo pode ser enviado para um endereço de email que instantaneamente rebate para a conta dentro do aplicativo.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

Fonte: http://porvir.org/salvar-para-ver-depois-8-apps-para-facilitar-sua-vida-dentro-ou-fora-da-escola/

Aplicativo hold

post03

A tecnologia tem feito cada vez mais parte do universo educativo, mas sua utilização, em alguns casos, deve ser moderada. É o caso do celular, por exemplo. Porém, a imposição de regras pode ser menos exitosa do que buscar alternativas à diminuição do uso de aparelhos em sala de aula. Uma das possibilidades, é o aplicativo Hold.

Lançado no Reino Unido, o app propõe um exercício para que os estudantes se acostumem a deixar de lado os seus smartphones e, assim, prestem mais atenção às aulas. Quando você ativa o aplicativo, a plataforma inicia uma espécie de cronômetro de 20 minutos e, se o aluno conseguir ficar esse tempo sem mexer no celular, ele ganha um ponto. E as pontuações acumuladas podem ajudar os alunos a conseguirem descontos e brindes em estabelecimentos como a Amazon, por exemplo, ou a companhia de cinema Vue, onde consegue desconto em ingressos e até pipoca grátis para a sessão.

Além dos benefícios, o estudante que tiver interesse também pode doar os seus pontos que estiverem acumulados e fazer uma boa ação, trocando os bônus conquistados por livros escolares que são entregues pela UNICEF para crianças carentes. E para que o aluno possa verificar seu desempenho de horários, o aplicativo possui um quadro de estatísticas para que o usuário meça seu desempenho em relação às ‘olhadinhas’ e se policie sobre o ‘vício’.

Que achou da ideia? Comente abaixo!

Fonte: http://tecnologia.ig.com.br/2018-03-05/aplicativo-hold.html

Empresa desenvolve soluções para a educação

post03

Empresa de tecnologia, a IES2 – Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas, com sede em Campinas/SP, desenvolve soluções e aplicativos com foco em educação.

O aplicativo Palma Escola, para crianças, jovens e até adultos, é desenvolvido pela empresa. Ele traz um programa de alfabetização virtual, a partir de um nível chamado de “alfabeto”, e outros dois níveis de sílabas e dois níveis para leitura e compreensão de textos. O app está disponível, gratuitamente, para Android, na PlayStore.

Além desse aplicativo, a empresa desenvolveu produtos customizados para o Santuário de Aparecida, como um conjunto de jogos educativos destinado aos jovens devotos, com foco na padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Recentemente, também aconteceu o lançamento de uma plataforma de produção de aulas digitais chamado Aulapp. É uma plataforma de aprendizagem digital, personalizável e com arquitetura escalável, 100% na nuvem. Com ela, é possível criar conteúdos e atividades educacionais proporcionando a melhor experiência e mobilidade aos usuários.

Fonte: https://www.dci.com.br/dci-sp/empresa-de-tecnologia-avanca-em-soluc-es-para-educac-o-1.683559

Campus Party e a Educação (parte 2)

post03

O Campus Party 2018, trouxe bons exemplos de como o empreendedorismo, a inovação e a tecnologia podem ser benéficos à educação. São os casos das plataformas Studying e Spreading.

Studying

O objetivo dessa plataforma é planejar e monitorar o tempo de estudo. Disponível em Android e iOS, ela pode ser utilizada para diversas metas, até mesmo na preparação para concursos, vestibulares e certificações. A sua origem tem relação com os estudos do filho de Fernando Mendes (desenvolvedor da plataforma), que sempre tinha que fazer provas às sextas-feiras no colégio onde estudava em Fortaleza/CE.

Nela, há elementos de gamificação e a possibilidade de comparar o tempo, conteúdo estudado e dificuldades enfrentadas por diferentes usuários, que podem fazer parte tanto de uma classe quanto de uma turma de amigos. O tutor (responsável ou professor) ou gestor recebe notificações à medida que metas vão sendo cumpridas.

Spreading

Para trazer conhecimentos restritos de alguns setores da sociedade, à escola pública, a plataforma Spreading faz a ponte entre voluntários e instituições de ensino. Para isso acontecer, o cidadão faz um cadastro no site mostrando o que pode compartilhar (empreendedorismo, artes, danças, dentre outros temas), o que pode despertar o interesse de um educador que está na outra ponta.

Até o momento, a Spreading possui 55 voluntários e 10 escolas cadastradas. Um acordo recente com a Secretaria Estadual de Educação pretende levar a iniciativa às escolas da rede.

Créditos da imagem: http://www.simi.org.br

Você tem dicas de projetos como estes, que trazem inovação e melhorias à educação? Então comente abaixo!

Fonte: http://porvir.org/4-empresas-de-educacao-dao-os-primeiros-passos-na-campus-party/

Campus Party e a Educação (parte 1)

post02

O Campus Party é um evento que acontece anualmente no Brasil e que engloba os mais diversos temas relacionados à internet. Na edição de 2018, algumas empresas de educação deram os seus primeiros passos. Entre elas as plataformas Jovens Gênios e ImaginaKids.

Jovens Gênios

A plataforma Jovens Gênios foi criada por três estudantes da UFRJ e oferece atividades de matemática e programação para crianças e jovens. Lançada por Fernando Costa e Bernard Café, alunos do curso de engenharia química que atuam como professores de educação básica, e por Luís Felipe Nicolau, que cursa engenharia de software, ela possui uma interface específica para o estudante e outra para os pais.

Em sua interface é possível acompanhar onde estão as maiores dificuldades dos estudantes e quais os pontos onde eles tem maior curiosidade e procura evoluir. Na programação do site há um algoritmo de aprendizagem adaptativa, que recomenda atividades de acordo com a série do aluno. O foco da plataforma são os pais e responsáveis e ela é oferecida em três planos: anual, R$ 19,90; semestral, R$ 23,90; e mensal, R$ 27,90.

Veja o vídeo sobre a Jovens Gênios: https://www.youtube.com/watch?v=K6vbLt-yjUw

ImaginaKids

Utilizando app gratuito e disponível para Android e iOS, a ImaginaKids trabalha a alfabetização e a autonomia com crianças de até oito anos, possibilitando que criem suas próprias histórias através de catálogo de personagens e ainda possam ter uma versão impressa de seus livros. O projeto criado por Alionália Lopes e Rafael Lopes, em São Luiz/MA, buscava uma alternativa saudável para o uso de tecnologia para os próprios filhos e para outras crianças. Ela, professora de artes em escolas e na UFMA (Universidade Federal do Maranhão), e ele, professor de engenharia da computação e diretor de empreendedorismo na mesma universidade.

O aplicativo também estará presente nas escolas, que poderão ter personagens ligados a projetos pedagógicos. De um aplicativo, agora a ImaginaKids virou uma plataforma educativa e planeja atingir pré-adolescentes com um espaço dedicado à programação.

Veja o vídeo sobre a ImaginaKids: https://www.youtube.com/watch?v=QccU2ufJ504

Créditos da imagem: http://virgobrasil.com.br

Fonte:
http://porvir.org/4-empresas-de-educacao-dao-os-primeiros-passos-na-campus-party/

Dicas de como aproximar as famílias à escola através da tecnologia

post03

Muitas são as possibilidades que a tecnologia traz na melhoria do ensino, e ela também pode ser muito eficaz na aproximação das famílias junto à escola.

Entre as dicas está o famoso Whatsapp. Nele, por exemplo, o professor pode criar um grupo para a turma e adicionar responsáveis. Assim, todos podem interagir entre si. Outra opção é a lista de transmissão que, diferentemente do grupo, o professor dispara uma mensagem para todos os contatos, mas eles não ficam sabendo a quem mais foi enviado o conteúdo.

Existe, também, o Remind. Sua proposta é estimular a aproximação dos pais na vida escolar dos filhos. Neste aplicativo é possível enviar lembretes, fotos, documentos, PDF’s, entre outros. Está disponível para sistemas operacionais Android e iOS. Saiba mais em: https://www.remind.com

Outra dica é o ClassApp. Ele é um ótimo organizador e, além de simples recados, é possível enviar enquetes, relatórios, agenda de reuniões, eventos e até mesmo autorizações, com assinaturas digitais. Conheça-o em: https://www.classapp.com.br

 

Fonte: Nova Escola

Além da tecnologia, proposta pedagógica deve ser consistente, diz especialista

ensino_tecnologia

Em escolas e faculdades onde a aposta tecnológica é antiga, professores relatam maior aprendizagem e engajamento dos alunos. O risco, segundo especialistas, é investir apenas no uso dos equipamentos sem uma proposta pedagógica consistente.

O sonho de todo o professor é uma sala de aula equipada com internet, computadores, smartphones e muito mais tecnologias em prol da educação. Esses aparelhos agilizam as aulas de uma forma mais rápida e criativa. Nos dias de hoje é impossível pensar na formação do aluno sem a ajuda da tecnologia.

Mas é preciso se ter em mente que a tecnologia só terá efeito positivo na educação se houver uma proposta pedagógica completa e diversificada. A tecnologia nunca irá substituir o papel do professor em sala de aula e também ele não poderá ser apenas um operador de sistemas. É fundamental que ele mantenha a função de promotor do conhecimento.

As tecnologias precisam estar integradas ao projeto educacional da escola e também ao nível do aluno. Se bem usadas, as tecnologias serão suas aliadas e pode melhorar, e muito, o processo de aprendizagem em todas as idades.

Aplicativo aproxima escola, pais e alunos

POST_11-03-2015_banner-667x273

Nem sempre é possível estar integrado com todas as atividades da criança na escola. As redes sociais até facilitaram um pouco o trabalho para pais e professores, mas ainda assim alguns problemas são vivenciados por ambos dentro do ambiente escolar. Grupos criados em aplicativos de mensagens podem constranger de lado a lado e a privacidade de professores acaba sendo invadida em alguns momentos.

Foi pensando nisso que os irmãos Sávio Grossi, 35, e Bruno Grossi, 33, viram uma oportunidade. Eles criaram há menos de um ano o Pertoo, aplicativo que permite o envio de fotos, documentos e comunicados via tablet, celular ou mesmo pelo navegador de um computador desktop. Essa comunicação pode envolver simples mensagens com as atividades escolares e até relatórios detalhados sobre o comportamento dos alunos. “Por mais que as escolas digam que querem se aproximar dos pais, é preciso estabelecer um limite. Se deixar, tem pai que quer ficar dentro da sala de aula com o filho”, diz Sávio, o CEO da empresa.

No Pertoo, a escola consegue acompanhar todas as mensagens de pais e professores e receber alertas quando a temperatura da conversa sobe e surgem palavras de baixo calão, por exemplo. O aplicativo também pode ser configurado para dar diferentes níveis de autonomia ao familiar do aluno: ele pode iniciar o contato ou somente responder mensagens enviadas por professores.

Atualmente, o Pertoo já tem cadastrados quase 50 mil estudantes de 30 escolas de todo o país. Ele é gratuito para os pais e alunos, que recebem um código de segurança individual com liberação do acesso. As escolas pagam a partir de R$ 199 por mês (o valor depende do número de estudantes) e podem colocar seu nome e logomarca no aplicativo que vai para as prateleiras das lojas virtuais App Store (iOS) e Google Play (Android). No pacote, estão inclusos ainda suporte técnico e atualizações.

 

Alunos desenvolvem ferramenta para aprenderem a tabuada

ienh

A tabuada ainda é uma vilã nas aulas de matemática. Mas os alunos do 3º ano do Ensino Fundamental Bilíngue da IENH, de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, estão tirando esse aprendizado de letra.

A turma participou de um Quis Matemático para auxiliar no estudo das tabuadas do 2 ao 9, de forma colaborativa e interativa. O “Multiplication Quiz” foi o nome dado à ferramenta criada pelos estudantes, que auxilia na aprendizagem da tabuada. Os alunos trabalharam em duplas e criaram, em Inglês, 10 questões com 3 alternativas de respostas sobre as tabuadas do 2 ao 9.

Na Educação Tecnológica, utilizaram o Power Point para organizar o quiz, utilizando as configurações de botões de ação, animações, design, som e filmagem.

De acordo com as Professoras Jaqueline Grassmann e Lisiane Schultz, “a atividade foi importante, pois foi uma forma de auxiliar na aprendizagem do processo da multiplicação, iniciado com a tabuada. Por ser uma ferramenta em Língua Inglesa, os alunos também puderam rever a pronúncia dos números envolvidos”.

Algumas dicas de como usar o Google em sala de aula

Students in computer lab

Todo mundo conhece o Google! O site é referência quando o assunto é pesquisa na Internet, além de ser proprietário de redes sociais e outras ferramentas da Internet. Pois esse gigante do mundo tecnológico pode ser seu aliado na sala de aula.

Em vez de brigar com os alunos que não desgrudam de seus celulares e tablets em sala de aula, cada vez mais professores usam a tecnologia a seu favor. O Google pode ser uma ótima ferramenta para ajudar você em várias tarefas do dia a dia. Veja algumas delas:

Trabalhos em grupo no Drive: Ferramentas como o documento ou a planilha do Google Drive permitem que múltiplos usuários editem um trabalho ao mesmo tempo, o que facilita a construção de trabalhos coletivos. Você ainda pode acompanhar o desenvolvimento das tarefas e verificar o que cada estudante produziu. Nos trabalhos em grupo é comum algum aluno pedir para incluir o seu nome no trabalho mesmo ele não tendo contribuído com a tarefa. Com a ajuda do Google Drive isso não é mais possível.

Classroom: É um aplicativo criado especialmente para a educação. Permite a criação de uma sala de aula virtual onde o professor pode organizar tarefas e medir os desempenhos de alunos, além de compartilhar documentos. Diferentemente de outras plataformas de ensino a distância, no Classroom, os alunos também podem criar e compartilhar documentos, com a aprovação do professor.

Conferências via Hangout: Muitas vezes o professor quer levar um convidado para explicar um determinado assunto na aula, mas conciliar a agenda é difícil. Se o palestrante for de outra cidade, o problema é ainda maior. O Hangout do Google Plus pode ser a solução. Com ele, o contato pode ser feito por meio de vídeo conferência, inclusive com a participação de mais interlocutures. A conversa ainda pode ser transmitida ao vivo e depois ficará salva no YouTube. A ferramenta também pode ser útil para alunos que, por alguma razão, faltaram a aula.

Google Earth: Você pode viajar com os seus alunos para qualquer lugar do mundo, inclusive nos oceanos. Com o Street View é possível andar pelas ruas das maiores cidades do mundo, uma verdadeira aula de geografia na tela do seu computador.

Instituto Cultural Google: Vai ensinar sobre a Revolução Francesa, então viaje com os seus alunos ao Palácio de Versalhes, onde a corte francesa vivia na época. Ou ainda, visitar museus e monumentos históricos, maravilhas do mundo e muito mais.

Youtube.com.br/edu: O YouTube já é bastante reconhecido como um bom aliado para o ensino de conteúdos com o auxílio de seus vídeos tão diversos. No entanto, professores podem ter dificuldades para filtrar somente os materiais educativos.

Inclusive os alunos da professora Bruna Negreiros trabalharam com ferramentas do Google. A gente contou essa história aqui no blog.

Fonte: www.tecnologia.terra.com.br