Conexão Xalingo – Blog

Linguagem de programação sem computador

post02

Ainda vista como algo de outro mundo por muitas pessoas, a linguagem de programação pode ser ensinada de forma que não seja necessário utilizar programas específicos, ou nem mesmo computador. Veja algumas sugestões de atividades desplugadas que ajudam a compreender a temida linguagem de programação.

1) Decodificando a Amarelinha

O professor de Informática Educativa da Emef Ana Maria Benetti, em São Paulo, Paulo Adriano Ferrari, realizou com os alunos uma atividade que codifica a brincadeira de amarelinha. Nas palavras de Paulo: “Introduzi o ensino da linguagem de programação de uma maneira fácil e divertida, menos abstrata e mais concreta, ao adaptar o jogo de amarelinha ao ensino de lógica de programação. Com papelão e giz podemos realizar uma atividade de programação desplugada para que as crianças criem códigos e símbolos e ‘escrevam’ um programa para jogar a amarelinha. A atividade incorpora o uso do corpo na aprendizagem de conceitos matemáticos, espaciais e de lógica de programação ‘materializando-os’ no chão da sala de aula de uma forma lúdica e colaborativa.”

2) Caça ao tesouro

Uma caça ao tesouro que utiliza pistas para desvendar a programação, incluindo movimentos, noções espaciais e conceitos matemáticos. Exemplo: “Pista 1 – Você entrou no jogo da programação, mova dez passos para frente, vire à esquerda e mova três passos para frente, então levemente vire à direita e entre no espaço à sua frente, procure nessa sala a sua nova dica e boa sorte!”. Através da ludicidade, da experimentação e do envolvimento, os alunos realizam atividades de programação, exercitando conhecimentos prévios na prática, colaborando com os colegas, resolvendo soluções de problemas.

3) Dinâmica Robô

Através de um circuito criado no chão com fita crepe, é escolhido um aluno para ser o robô que receberá os comandos falados pelos demais estudantes, para realizar o percurso determinado.
O aluno que será o robô é orientado a se mover com orientações claras e a ficar parado quando todos avisam ele, ou então quando alguém não fala um comando claro, como “ande para frente”.
Para que o robô realize o circuito é necessário receber a programação correta, como “mova dez passos para frente, gire levemente para a direita” e assim sucessivamente. Dessa forma, os alunos exercitam noções espaciais, e conhecimentos de forma oral, internalizando os aprendizados adquiridos.

Crédito da foto: Paulo Ferrari

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/7111/atividades-desplugadas-ensinar-linguagem-de-programacao-sem-computador

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *